sexta-feira, Março 16, 2012

10 Março - Descobrir a Escrita: A bordo de uma caravela...

Esta tarde criativa desafiou-nos a viajar por histórias e locais impensados. Lançados no mar da imaginação perseguimos situações insólitas e muitas emoções inesperadas.

Graças à colaboração dos autores foi possível reunir os resultados desta aventura.
José

Encontro-me a bordo de uma caravela. Sinto-me uma vela sem cera nem pavio, sem uso. Sinto-me a cavar a sepultura antes de tempo, à espera que o destino se crave em mim, afastando-me do resto de uma vida que podia ter sido diferente. O riso alarve das gaivotas há muito que nos deixou, tal como eu deixei para trás uma arca de sonhos a valer, escritos com o cheiro da erva por perto. Selei-os com o lacre da juventude, ou foi a juventude que me embriagou, selando-me num instinto de raça? Avanço no mar, como a rela na relva, longe do que imaginaram para mim, perto do que imaginaram por mim. Avanço.Perco-me.
Margarida

A bordo desta caravela fico enlouquecida. Este ranger tira-me do sério. Valha-me o som do mar. Fechar os olhos e mergulhar nos pensamentos. Que saudades do lar. De ver todos os que me são queridos. Mas vai valer a pena. Claro que sim! Como me disse a Carla antes de embarcarmos o mundo é demasiado grande, há tanto para descobrir e para ver que às vezes tem de ser. Na bagagem trago uma arca vazia, à espera de guardar um grão de areia, um cheiro invulgar, uma pedra especial, sei lá! Tudo o que couber! Sim, que a memória é muito traiçoeira e nem sempre nos conseguimos valer dela para reviver emoções e situações passadas. Uma brisa de ar fresco acorda-me destes pensamentos! E ao meu lado, aquela cara… aquele alarve!
São

A arara rara plana lá longe sobre a floresta densa. Olho o verde, sufoco. O calor húmido lá dentro traz a imagem da rã vermelha, perigosa. O ar fresco atravessa as velas salgadas ralas de uso. A caravela baloiça ao sabor das ondas do mar verde-azul. Peixes nadam no recife de coral. São de todas as cores. Na minha cela da nau leio palavras negras gravadas na madeira acima dos meus pés no tecto baixo. Tenho sede de água fresca. Tenho sede de liberdade que habita do lado de lá da grade com vista para o mar, a praia, a floresta imensa onde só chego com o olhar vazio. Tenho sede.
Rita

Os marinheiros portugueses partiram nas suas caravelas em busca de novas terras…não existindo maneira de conservar os alimentos tinham de levar animais vivos no porão (cave) do barco, como por exemplo: patos, galinhas, uma vaca não porque ocupava muito espaço! Andavam dentro das caravelas, cumprindo as suas tarefas diárias… Uma dela era lavar o chão do convés, tarefa que normalmente cabia aos grumetes (aprendizes de marinheiros) e subir pelos mastros para içar as velas! Estes barcos não tinham uma grande área mas, serviram para chegar a novas terras e conquistá-las!
Anabela

Era, ou não era??... Aquela cara? Aqui no escuro desta cave não consigo distinguir nada! E este aperto faz calar o meu pensamento. Que cheiro a cera, a madeira encerada. Faz-me recordar os tempos em que vivi naquela casa grande e cheia de vida. Ai, lar doce lar… agora aqui me encontro, nesta cela ondulante… Nem uma cara para me consolar. Então, o que me resta é recordar, aqui à luz da vela, e com o velho álbum na mão recordo cada momento. O que me vale é esta arca de imagens claras, que me vão sendo o ar que me faz sobreviver…
Cláudia

Lava-se o convés, o calor é tórrido, não se vê uma ave. As águas paradas e os homens desalentados… vão 100 dias de viagem nesta caravela do Inferno. No interior o ar é saturado e cheira ainda a velas derretidas que toda a noite se consumiram… Consumidos os homens de sede e saudade, num impasse, sem vento, sem ar, sem avançar. Largaram terra há 100 dias e quantos 100 faltarão ainda para o destino… e que destino? Rala-se o comandante com desespero crescente dos seus homens. E a vela cai mole, não há vento que sopre… Apenas estas águas paradas, o som da madeira e do cordame rangendo em coro, e o olhar mortiço dos seus homens insatisfeitos, destroçados, interrogando-se nesta viagem estática, vazia para lugar nenhum.
Margarida

Ateliers de escrita criativa: DESCOBRIR A ESCRITA

4 SESSÕES: 10 e 24 de Março e 14 e 28 de Abril das 14:30 às 17:00

10 Março 14:30
Descobrir a escrita: A bordo de uma caravela...

Venha navegar pela escrita, através de sobressaltos e balanços, sem dispensar o enjoo e o sorriso.

Com Margarida Fonseca Santos


24 Março 14:30
Descobrir a escrita: A cartografia das histórias

Como por vezes um mapa nos guia e atrapalha, ao mesmo tempo, no processo de descoberta das histórias que temos dentro; o precioso auxílio da expressão plástica/gráfica.

Com Leonor Tenreiro


14 Abril 14:30
Descobrir a escrita: Tormentas mentais

O desafio da folha em branco; a auto-censura e outros “papões” que nos devoram a escrita; como enfrentá-los metódica e criativamente.

Com Leonor Tenreiro


28 Abril 14:30
Descobrir a escrita: O porto das palavras

Chegados ao fim de uma viagem através das palavras, partilham-se textos, dramatizam-se e desdramatizam-se conteúdos, explorando as várias leituras que a escrita pode ter.

Com Leonor Tenreiro


15€ por sessão
12€ por sessão para professores e estudantes, mediante comprovativo
50€ conjunto de 4 sessões

segunda-feira, Agosto 22, 2011

Histórias do Faz-de-Conta e Dias Temáticos








Histórias do Faz-de- Conta

M/4 anos Para os mais pequenos, e também para os pais, o 3º Domingo do mês propõe novas actividades e ateliers sempre diferentes. Este é um tempo único para partilhar novos territórios com muita imaginação.















Em Novembro de 2011 daremos início a mais um ciclo das Histórias do Faz-de-Conta...




Domingo - 15 de Janeiro - 10h30 - Selma

Para receber com muita alegria e boa disposição o ano 2012, o Serviço Educativo sugere para a próxima actividade das Histórias do Faz-de-Conta, a realizar no dia 15 de Janeiro, pelas 10h30, a exploração do conto "Selma" e a realização de um atelier de artes plásticas, onde as crianças serão convidadas a definir "o que é a felicidade?" e a criar um objecto muito especial, que as acompanhará todo o ano e as lembrará da importância de desfrutar da vida e de procurar a felicidade nas coisas mais simples.




Conto: Selma / Atelier de artes plásticas


Destinatários: Público familiar e M/ 4 anos / Sujeito a marcação prévia




Selma trata de um tema intenso:"O que é a felicidade?" Esta pode ter inúmeras definições até para a mesma pessoa.


Selma é uma ovelha feliz e, por isso, a sua experiência pode ensinar-nos a ser felizes apreciando todos os momentos das nossas rotinas diárias.


Ficha técnica do livro: texto e ilustração de Jutta Bauer, Editora Gatafunho, 2009.






Domingo - 20 de Novembro - 10h30 - Tudo ao Contrário!











No passado Domingo em Família, o Serviço Educativo trabalhou a temática da aceitação da diferença, pelo que as crianças foram confrontadas com personagens profundamente marcadas pela diferença, não só física, como também nos seus modos de vida, nomeadamente através da exploração da história A Rapariga Limpa, O Rapaz Sujo do livro "Tudo ao Contrário!", de Luísa Ducla Soares. Seguiu-se uma oficina de banda desenhada, na qual as crianças foram desafiadas a ilustrar as diferentes vivências de duas divertidas personagens que elas próprias tinham de criar - "O Rapaz Magro, A Rapariga Gorda". No final, surgiram pequenos textos e ilustrações num registo divertido e cheio de humor, demonstrando a capacidade imaginativa do nosso magnífico público infantil.






1 Junho - Dia Mundial da Criança (clicar na imagem)



















Domingo - 5 Junho - Dia Mundial do Ambiente (Clicar na imagem)






















Domingo - 15 de Maio - 10h30
A próxima actividade das Histórias do Faz-de-Conta será realizada no dia 15 de Maio, data em que se comemora o Dia Internacional da Família. Para assinalar este dia, a família do Padrão dos Descobrimentos propõe a exploração do conto "O Livro da Família" e uma oficina de construção de álbuns, onde as crianças serão chamadas a demonstrar e valorizar as características da sua família, bem como reconhecer que todas as famílias são especiais.


Conto: O Livro da Família / Oficina de construção de álbuns
Destinatários: Público familiar e M/ 4 anos / Sujeito a marcação prévia


Algumas famílias são parecidas. Algumas famílias gostam de comer coisas diferentes. Algumas famílias gostam de se abraçar. Algumas famílias gostam de aventuras...
Ficha técnica do livro: Texto de Todd Parr, Edições Gailivro, 2006.






Domingo - 17 de Abril - 10h30
Conto: A Casa da Mosca Fosca
Oficina de poesia: as crianças serão convidadas a chamar a senhora inspiração, a construir rimas e combinar palavras com sonoridades semelhantes, até se transformarem em verdadeiros poetas.


Destinatários: Público familiar M/ 4 anos /Sujeito a marcação prévia


Era uma vez a mosca fosca que vivia num bosque distante. Farta de zunir, de dar voltas sem parar, decidiu fazer uma casa para morar... Fez uma torta de amoras, cujo cheirinho atraiu sete estranhos animais. Não havia mais lugar e no entanto...


Trata-se de um conto acumulativo que apresenta uma galeria de personagens que convidam ao jogo fonético.


Ficha técnica do livro: Texto de Eva Mejuto, ilustração de Sergio Mora, tradução de D. Batalim, 1ª Edição, Kalandraka, 2004.


(clicar na imagem)
























Domingo - 20 de Março - 10h30
Sendo Março o mês da Primavera, o Serviço Educativo do Padrão dos Descobrimentos sugere a exploração do conto "A Árvore Generosa", de Shel Silverstein, através de uma dramatização e de um atelier de pintura, onde as crianças serão desafiadas a pintar um mural para dar as boas vindas à Primavera e celebrar a generosidade da natureza. Conto: A Árvore Generosa / Atelier de pintura


Destinatários: Público familiar e M/ 4 anos / Sujeito a marcação prévia


A árvore generosa é uma fábula em preto e branco sobre a amizade, a consciência ecológica e a passagem para a vida adulta. Os estreitos laços que aproximam o menino e a árvore transformam-se, pouco a pouco, em distância e silêncio. Ela sempre acolhe e oferta; ele tudo pede e retira. A árvore propõe uma relação de troca sincera e desinteressada - essa que o menino parece desaprender quando vira homem. Para além das questões ecológicas, este livro sugere um horizonte de cidadania e responsabilidade social em escala planetária.


Ficha técnica do livro: Texto de Shel Silverstein, tradução de Miguel Gouveia, 3ª Edição, Editora Bruaá, 2009.


Domingo - 20 de Fevereiro - 10h30
Sendo Fevereiro o mês dos namorados, o Serviço Educativo do Padrão dos Descobrimentos propõe a exploração do conto "Amor ... que nojo!", de Michael Catchpool e Victoria Ball, seguido de um atelier de artes plásticas, onde as crianças serão convidadas a construir um presente para demonstrarem o seu amor por quem mais gostam.


Conto: Amor... que nojo! / Atelier de construção de presentes


Destinatários: Famílias e M/ 4 anos / Sujeito a marcação prévia


O Samuel está farto dessa coisa nojenta do amor. Para onde quer que olhe, vê pessoas aos beijinhos e aos abraços- "Blhac!"


Só lhe resta uma solução... Montar a sua bicicleta e partir para longe de tanto amor. Mas, nem mesmo no interior da selva ou nas profundezas do oceano, ele consegue escapar.... Uma divertida história sobre a universal necessidade de amor.


Ficha técnica do livro: Texto de Michael Catchpool e ilustração de Victoria Ball, Edições Nova Gaia, 2008.


Domingo - 16 de Janeiro - 10h30
Conto: A QUE SABE A LUA? / Oficina de construção de mobile


Objectivo: Reflectir sobre valores como a solidariedade e a força da união.


Destinatários: Famílias e M/4 anos / Sujeito a marcação prévia


Há já muito tempo que os animais desejavam averiguar a que sabia a Lua. Seria doce ou salgada? Só queriam provar um pedacito. À noite, olhavam ansiosos para o céu. Esticavam-se e estendiam os pescoços, as pernas e os braços, tentando alcançá-la...


Ficha técnica do livro: Texto e ilustrações de Michael Grejniec, tradução de Alexandre Honrado, Editora Kalandraka, 6ª Edição, 2010.

Domingo - 19 de Dezembro - 10h30
Conto: Matilde, a galinha diferente / Atelier: Construção de um jogo


Objectivos: Desenvolver atitudes de respeito e tolerância pela diversidade dos indivíduos e dos grupos.


Destinatários: Famílias e M/4 anos / Sujeito a marcação prévia


Matilde era diferente dos outros pintainhos que nasceram nesse dia no galinheiro. Todos a olharam de lado e ela passou a viver debaixo das asas da mãe. Até que um dia cresceu ... Queres conhecer a história da Matilde?


Ficha técnica do livro: Texto de Miguel Corte Real; Ilustração de Miguel Corte Real, Micky e Miguel Cabral; Editora: Everest, 2004.


NOVIDADE ATELIER " ENTRE FRONTEIRAS" Ano lectivo 2010/ 2011
Destinatários: 1º e 2º ciclo do Ensino básico / 6 aos 12 anos
Nº de participantes: máximo 20 / Duração: 1h40 / Sujeito a marcação prévia


Uma mala, uma identidade, e uma viagem imaginária constituem o ponto de partida deste atelier. Sob a forma de um jogo de dramatização, são trabalhados conceitos que fazem parte do fenómeno das migrações que ocorrem entre todos os povos, e por todo o mundo. O desafio criado ao longo deste percurso envolve escolhas e decisões das crianças, procurando favorecer a reflexão conjunta sobre estes movimentos, os seus actores e os diferentes cenários de adaptação a uma nova vida.


Um atelier que convida à participação de todas as crianças, estimulando a capacidade de diálogo, reflexão e espírito crítico.



Domingo - 14 de Novembro (2º Domingo do mês)
A LUZ É COMO O MAR


Oficina de artes plásticas e teatro


Concepção: Miguel Fragata


14 de Novembro - Das 10h30 às 12h30 e das 15h00 às 17h00


Destinatários: crianças dos 4 aos 10 anos / Sujeito a marcação prévia





A luz é como a água: abre-se a torneira e jorra. Jorra de tal modo que ao fim de um bocado forma um mar, depois um oceano, depois uma tempestade. Dois irmãos, que sabem que a luz é como a água, põem em marcha um plano: todas as quartas-feiras à noite, em silêncio, partem uma lâmpada acesa e vêem escorrer um pequeno mar de luz que vai invadindo a casa. Para navegar, todos sabem que é preciso barco, remos, máscaras de mergulho, bóias e barbatanas, e uma rosa-dos-ventos para orientação. Mas poucos sabem que a luz lá de casa faz navegar sofás que são leões-marinhos, xailes que se transformam em raias, ou dentaduras da avó feitas piranhas... Uma oficina para fazer uma verdadeira exploração marítima dentro de casa, dentro de água, dentro da luz.



Domingo - 17 de Outubro (clicar na imagem)































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































sábado, Abril 30, 2011

Ateliês de Escrita Criativa

Pedaços de Mim
2º e 3º Ciclo do Ensino Básico , Ensino Secundário e adultos
As palavras são como um jogo, sem fim. Podemos amontoá-las sem forma como uma qualquer construção, sem razão nem significado. Podemos também escolhê-las, uma a uma, por aquilo que valem e podem expressar.
Neste ateliê esboçamos imagens a partir de palavras soltas, cheias de sentido, palavras… que são como pedaços de mim.



A Ilha das Palavras
1º e 2º ciclos do Ensino Básico
Desafiados a iniciar uma viagem, os participantes levam na bagagem apenas algumas das suas palavras favoritas. Como decorrerá esta aventura que conduz tão extraordinários viajantes pelo mar da imaginação? E o que fazer com tão insólita bagagem? Quais as palavras que guardarão e quais as que irão abandonar ao primeiro sinal de perigo?
A ilha das palavras é apenas o começo de um caminho mágico que vamos desvendar ao ritmo das palavras que cada um transporta consigo.
Um ateliê que favorece a participação de todas as crianças, pondo à prova a criatividade, mas também a capacidade de diálogo e entreajuda.



Monstros Debaixo da Língua
1º e 2º ciclos do Ensino Básico
Como nascem afinal as palavras? Como se criam? Como crescem? Neste ateliê os participantes inventam palavras novas a partir de raízes etimológicas de origem grega, latina, árabe ou crioula, ao mesmo tempo que plasticamente criam e descrevem as suas características físicas, o local onde vivem, e outros tantos hábitos, dando-nos a conhecer estes inigualáveis pequenos monstros…




Histórias de Marinhar
1º e 2º ciclos do Ensino Básico, pais e filhos


Uma viagem mágica pelo mundo da criação de histórias e aventuras oceânicas. Uma mão cheia de palavras, desafios, navegadores, seres fantásticos, terras distantes, perigos e até inimigos inesperados, que convidam os mais pequenos a apelar à imaginação e a construir momentos narrativos inesquecíveis.






Onde se Escondem as Histórias?


1º e 2º ciclos do Ensino Básico, pais e filhos


Concepção Leonor Tenreiro


Escrever é imaginar, e imaginar já é escrever. Mas às vezes precisamos de um empurrão para "magicar" histórias na cabeça e no papel. A escrita é como um músculo, se for bem trabalhado, faz-nos percorrer quilómetros e subir às montanhas mais altas! Não deixes a caneta fechada no estojo e o papel guardado na gaveta! Vamos construir histórias em conjunto! A escrever e a contar pomos a imaginação a circular!



Por Trás das Letras


1º, 2º e 3º ciclos do Ensino Básico, pais e filhos


Concepção Leonor Tenreiro


Tudo começa com uma ideia! Quando conseguimos descobri-la e acreditar nela, temos que meter as mãos à obra para lhe dar forma. Há que pensar nas personagens, quem são, de onde vêm, e no que lhes vai acontecer; a isso chama-se acção. Desenhado o plano, falta criar os diálogos que façam as personagens relacionar-se umas com as outras, e até com os futuros leitores. Passo a passo nasce um livro. Vamos aprender como se faz?






Actividades Lúdico - Pedagógicas

O Peixinho vai Nadando
Pré-escolar, pais e filhos
Uma actividade que procura estimular a educação da criança para o respeito pelo mar e pela preservação deste meio-ambiente. Vamos criar esse lugar fantástico onde todos os peixinhos e seres marinhos querem morar: um imenso mar azul, onde corais e algas desafiam a passeios e festas subaquáticas.


Puzzle Fantástico
Pré-escolar, 1º ciclo do Ensino Básico (1º e 2º anos), pais e filhos e Ensino Especial
Construir monstros marinhos: uns bons e felizes, outros maus e tristes, para num painel mágico contar a história de como vivem todos juntos no fundo do mar. Com estas construções e desconstruções animalescas as crianças brincam com os seus medos num lugar mágico, de mistérios e seres fantásticos – O Mar.


Vou de Viagem, o que Levo na Bagagem
1º e 2º ciclos do Ensino Básico, pais e filhos
Uma mala e alguns objectos dispersos no interior. A quem pertence? Poderemos saber de que viagem se trata? Será que estes objectos nos podem fornecer a resposta de que precisamos? Que viagem é esta? E qual o viajante?
Através de pequenas pistas, e alguma investigação seguimos o rasto de alguns dos maiores exploradores e aventureiros de todos os tempos.
Este é uma ateliê que explora aspectos da História das grandes viagens e explorações realizadas pelo Homem, para dar finalmente lugar a experiências e dramatizações realizadas pelas próprias crianças.



Caça ao Tesouro
1º e 2º ciclos do Ensino Básico, pais e filhos


Sentido de descoberta, orientação, trabalho em equipa, e alguns conhecimentos de História são as ferramentas que precisamos para viajar pelo Padrão dos Descobrimentos e desvendar os seus segredos. Uma rota para disputar entre várias equipas, onde não faltam obstáculos a transpor e algumas tarefas a desempenhar.


O Grande Jogo dos Descobrimentos


1º e 2º ciclos do Ensino Básico


Um jogo da glória gigante, dois dados, duas equipas de destemidos marinheiros e um desafio, onde tudo pode acontecer! Um jogo que se converte numa viagem cheia de peripécias, numa grande aventura de Lisboa ao Extremo Oriente.




Entre Fronteiras



1º e º ciclos do Ensino Básico, pais e filhos



Uma mala, uma identidade, e uma viagem imaginária constituem o ponto de partida deste atelier. Sob a forma de um jogo de dramatização, são trabalhados conceitos que fazem parte do fenómeno das migrações que ocorrem entre todos os povos, e por todo o mundo. O desafio criado ao longo deste percurso envolve escolhas e decisões das crianças, procurando favorecer a reflexão conjunta sobre estes movimentos, os seus actores e os diferentes cenários de adaptação a uma nova vida. Um atelier que convida à participação de todas as crianças, estimulando a capacidade de diálogo, reflexão e espírito crítico.




A Luz é como o Mar


1º e 2º ciclos (1º ano) do Ensino Básico, pais e filhos


Oficina de artes plásticas e teatro


Concepção Miguel Fragata


Com Miguel Fragata e Susana Gaspar


Esta oficina encontra-se sujeita à realização de um número limitado de sessões


A luz é como a água: abre-se a torneira e ela jorra. Jorra de tal modo que ao fim de um bocado forma um mar, depois um oceano, depois uma tempestade. Dois irmãos, que sabem que a luz é como a água, põem em marcha um plano: todas as quartas-feiras à noite, em silêncio, partem uma lâmpada acesa e vêem escorrer um pequeno mar de luz que vai invadindo a casa. Para navegar, todos sabem que é preciso barco, remos, bóia e barbatanas, e uma rosa-dos-ventos para orientação. Mas poucos sabem que a luz lá de casa faz navegar sofás que são leões-marinhos, xailes que se trnasformam em raias, ou dentaduras da avó feitas piranhas...



Uma oficina para fazer uma verdadeira exploração marítima dentro de casa, dentro de água, dentro da luz.


















Visitas

Visita Guiada
Público geral (Português, Castelhano, Francês e Inglês), grupos escolares
A visita oferece uma visão geral sobre a origem do Monumento e a sua integração nas comemorações e Exposição do Mundo Português, realizada em 1940. É também dado a conhecer um percurso sintético sobre os Descobrimentos Portugueses; alguns dos seus protagonistas, as grandes viagens e descobertas, e o admirável encontro com outros povos e culturas.


Visita Encenada
1º e 2º ciclos do Ensino Básico
Esta visita propõe um percurso animado por pequenas recriações históricas de factos e personagens associados ao tema dos Descobrimentos Portugueses. D. João II, Vasco da Gama ou Fernão Mendes Pinto são algumas das figuras históricas que poderão acompanhar os visitantes neste percurso dinâmico.

A Primeira Visita
1º ciclo do Ensino Básico (1º e 2º anos)
Para os mais pequenos o Serviço Educativo propõe uma breve visita para dar a conhecer alguns aspectos da História do Monumento, a sua ligação com o Mar e as Viagens de Descobrimento.
Esta opção permite ainda proporcionar às crianças a realização de algum dos outros ateliers disponíveis ou um momento lúdico no topo da caravela de pedra, chamada Padrão dos Descobrimentos, onde a criança pode descobrir sozinha, através de um pequeno periscópio manual, toda a paisagem envolvente.




Um Monumento Singular


Público geral, 3º ciclo do Ensino Básico (9ºano) e Ensino Secundário


Visita orientada para a interpretação histórica e artística do monumento, visando o seu enquadramento na Exposição do Mundo Português, na história da arquitectura, da escultura e do urbanismo, e a sua exploração iconográfica à luz das orientações estéticas e propangandísticas defendidas pelo Estado Novo.





segunda-feira, Julho 05, 2010

Cidade a cores, e a preto e branco

A magia da imagem leva-nos a repensar e a redescobrir o património e o espaço que nos rodeia. Neste atelier começamos por reflectir sobre a cidade e os seus espaços. Recorrendo a duas linguagens e técnicas distintas- a fotografia e a colagem- podemos agora reinventar novos espaços, imaginar e recriar os lugares da nossa cidade.


Vejam os resultados!

quinta-feira, Julho 01, 2010

Em Festa


No último Domingo em Família de 2010, realizado no dia 20 de Junho, o Padrão dos Descobrimentos esteve "Em Festa", a qual foi dedicada aos Santos Populares.

Ao som da canção "Lisboa Menina", criámos uma marcha para o Padrão dos Descobrimentos.

Depois de alguns ensaios e muita alegria, a marcação saíu perfeita!

Dia Mundial do Ambiente


No Dia Mundial do Ambiente, a Dona Terra esteve no Padrão dos Descobrimentos para nos contar o que faz diariamente. Todas as manhãs, ela abre as janelas e deixa iluminar o planeta, enquanto os rios transportam continuamente os grãos de areia para o mar, e os ventos trabalham sem parar.

O conto Dona Terra foi o ponto de partida para uma reflexão sobre os problemas que afectam o ambiente e as riquezas naturais do planeta, bem como as soluções fornecidas pelas energias alternativas.

O mural que pintámos ajuda-nos a lembrar os cuidados especiais que devemos ter com a Dona Terra.


Dia Mundial da Criança



Este dia foi comemorado com o espectáculo A Fábula do Peixe que Muda, que narra a viagem subaquática de um peixe chamado Adriano, desde o oceano, de onde partira no princípio dos tempos, numa corrida desenfreada contra um cardume imparável, até desaguar num lugar onde já nada nada, mas onde se ouve muito bem a voz quente e calma do oceano, pela qual se apaixona profundamente.



A partir desta fábula, foi proposta uma oficina de expressão plástica em que "deixámos de ser os meninos que somos para voltarmos a ser os peixinhos que fomos", para recordar o lugar onde vivemos secretamente os primeiros nove meses da nossa vida.


Fábrica de Histórias






No mês de Maio, as famílias foram convidadas a entrar na nossa "Fábrica de Histórias".


Entrámos de mãos vazias e saímos carregados de histórias com muitas aventuras.


Uns cartões mágicos indicaram- nos as peças necessárias para pôr a nossa fábrica em movimento, da qual saíu esta pequena história: " No tempo em que as galinhas tinham dentes, um extraterrestre, que vivia numa Ilha Encantada e usava como transporte uma nave espacial, teve como missão encontrar um livro mágico que se encontrava no Jardim Zoológico. Ele contou com a ajuda de um crocodilo, que lhe deu uma poção mágica para combater uma serpente malvada que o queria afastar da sua missão. E no fim, mesmo no fim, a história terminou assim: ... E muito felizes, nunca mais esqueceram aquela aventura".


Como será o extraterrestre? Que tipo de encanto terá a ilha? O que torna a serpente tão malvada? Torna-te o autor desta história e dá largas à tua imaginação...

terça-feira, Abril 20, 2010

Um olhar panorâmico sobre a cidade






Tendo como fundo a Exposição de Fotografia "Lisboa à beira Tejo", que se encontra patente no Padrão dos Descobrimentos, o ateliê de Domingo passado, realizado no Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, teve como titulo "Um olhar panorâmico sobre a cidade".

A partir de fragmentos das imagens expostas na exposição e recorrendo à colagem, as famílias criaram novas imagens panorâmicas da cidade de Lisboa.

quinta-feira, Março 25, 2010

A Fada da Cor - 21 de Março de 2010



A Fada da Cor veio visitar o Padrão dos Descobrimentos...

Contou-nos como era a sua vida na pequena e triste aldeia sem cor onde vivia até se encontrar com o Arco-íris.

A partir desse dia nada continuou igual. O Arco-íris deu-lhe uma grande missão: encher o mundo de cor.

"É esta fada da cor que hoje percorre os céus e os planetas, colorindo desde as flores às estrelas."


No final, a Fada da Cor presenteou-nos com uma t-shirt branca e com o condão do arco-íris.


O resultado está à vista!



Seguidores